Mercado Editorial

Como está o Mercado Editorial no Brasil em 2018?

O mercado editorial no Brasil está mudando, com o baixo desempenho registrado nos últimos anos, causados pela recessão, o mercado parece ter encontrado um momento de respiro. Em 2018, o primeiro Painel das Vendas de Livros revelou resultados positivos para esse setor comercial.

Conforme a pesquisa, foi registrado um aumento de 14% no faturamento. Já as vendas em volume registraram alta de  4,19%, o que renova as esperanças e possibilidade de investimento na literatura por parte de autores e editoras.

Muitas pessoas estão no mesmo plano quando se afirma que ser escritor no Brasil sempre foi difícil, devido aos obstáculos que se enfrenta durante toda a produção da obra (da escrita até a publicação). Porém este quadro vem mudando, principalmente em decorrência da auto-publicação.

Previsões para o ano de 2018

Os poetas independentes tem conquistado um mercado sólido e leitores fiéis a cada dia. As editoras, que antes controlavam todo mercado editorial no Brasil já não tem mais tanta força. No passado, elas decidiam o que seria publicado e determinavam o futuro de muitos escritores.

Mercado Editorial no Brasil em 2018

Porém, graças às ferramentas de autopublicação isso está cada vez mais distante. Hoje, quem escreve é que decide sobre quando, como e onde irá publicar. Essa força ficará muito mais intensa neste ano de 2018.

Para vários especialistas, a ascensão da auto-publicação é um dos caminhos que vão alavancar setor editorial. Uma vez que as vendas de e-books em plataformas digitais está crescente. Isso é positivo, porque não deixa o mercado estagnado e dá espaço a novas produções, criando uma dinâmica saudável.

O mercado editorial no Brasil ainda precisa de cautela

Por mais que tenha apresentado melhoras neste ano de 2018, o setor editorial precisa ter cautela. Em 2017, enfrentou-se uma das crises mais fortes neste segmento, principalmente nas vendas de livros didáticos e técnicos.

A retração registrada naquele ano foi de 1,9% em valores nominais, o que preocupou muitas editoras. Compensando a inflação registrada na época, a queda foi de 4,8% em valores reais. Além disso, o ano passado foi o quarto seguido com registro de retração.

Portanto, a reação positiva que vem se registrando recentemente ainda é muito instável e precisa ser vista com cuidado. Obviamente ela demonstra algo bem positivo, alavancado pelos escritores independentes, mas nem por isso é definitiva.

As feiras literárias que acontecem ao redor do país também têm sido canais de grande comercialização e divulgação de obras. Como estão crescendo no Brasil são muito bem recebidas pelo mercado.

Resumindo…

O importante para escritores e editoras é não deixar de investir na literatura, dando visibilidade a eventos literários e que promovam o setor editorial no país. Esta prática será decisiva na hora de levar o setor a um patamar mais elevado.

Além disso, estimular a autopublicação pode ser uma das saídas mais inteligentes para o mercado, com o aprimoramento das tecnologias que possibilitam esse trabalho. Por fim, a concorrência entre as editoras e os autores independentes (estreantes ou não) sempre será saudável e indispensável ao segmento editorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.